Rastreabilidade de Produtos

 

Nesta tela é mostrada a hierarquia de rastreabilidade. Nos dois sentidos: onde o lote foi usado e quais os lotes que o compuseram na OP. Assim, por exemplo, se for detectado um produto com defeito digita-se qual o seu lote e recebe-se quais lotes o compuseram. E assim vai até chegar-se ao lote causador. Isso quem deve descobrir é o setor de engenharia, pois pode ter sido numa montagem de uma OP ou na qualidade de uma das Matérias Prima comprada. Descoberto o lote causador do problema, o passo seguinte é fazer-se a pesquisa com ele subindo até os produtos vendidos que o utilizaram. De posse das Notas de Vendas pode-se fazer um recall dos produtos afetados pelo famigerado lote defeituoso.

É claro que todo o processo de rastreabilidade cai por terra quando se utiliza numa mesma OP vários lotes de uma mesma matéria prima. Isso porque fica impossível saber qual item dessa OP usou um ou outro lote de matéria prima. Ou seja, misturou tudo. A solução é recolher tudo e analisar quem foi afetado.